RUI RIJO E MIGUEL LUZ SÃO OS VENCEDORES DO RALLYE CASINOS DO ALGARVE 2021

RUI RIJO E MIGUEL LUZ SÃO OS VENCEDORES DO RALLYE CASINOS DO ALGARVE 2021, NA FESTA EM CASA DE RICARDO TEODÓSIO E JOSÉ TEIXEIRA

Dupla algarvia vence também a Taça dos Campeões dos Ralis Regionais nas 4 rodas motrizes e no grupo P3

 

O Rallye Casinos do Algarve acolheu este fim-de-semana um formato novo nos ralis nacionais, a Taça dos Campeões dos Ralis Regionais, competição para qual estavam habilitados a competir os 5 melhores classificados nos grupos comuns aos cinco campeonatos regionais de ralis existentes em Portugal. O período tardio de atribuição da prova e o enorme congestionamento do calendário desportivo nacional levaram a que não fosse possível uma participação mais homogénea entre todos os regionais. A prova foi também a ronda de fecho dos Campeonatos de Portugal de GT’s e Clássicos, assim como do Campeonato Sul de Ralis (CSR).

O rali foi para a estrada no sábado de manhã com a realização de um free practice e de uma qualifying stage em Porches, onde o mais rápido foi o Mitsubishi Lancer Evo VIII MR de Rui Rijo/Miguel Luz. Seria o início do domínio da dupla almancilense que assim foram os primeiros a partir para a estrada e alcançaram a liderança na primeira passagem por Portimão para nunca mais a largar. Além de uma primeira vitória à geral para Rijo no CSR, Miguel Luz conseguiu sagrar-se campeão sul de navegadores e ainda levaram ainda para casa a Taça dos Campeões das 4 Rodas Motrizes e do Grupo P3. Neste grupo em particular foram secundados por Nuno Carujo/Daniel Martins (Mitsubishi Lancer Evolution VI) e Vasco Tintim/Filipa Tintim (Subaru Impreza).

O pódio à geral foi completo com João Bica/João Sena (Mitsubishi Lancer Evolution IX) e Nelson Silva/Paulo Silva (Mitsubishi Lancer Evolution VI), com o mais novo do clã Bica a conseguir ainda a Taça dos Campeões no Grupo X3, onde se seguiu os companheiros do pódio e ainda Rui da Silva Santos/João Sebastião (Subaru Impreza).

A luta nas duas rodas motrizes teve como vencedor Paulo Correia/Tiago Amado em Peugeot 208 R2, com a dupla vinda do Centro a levar a melhor sobre Luís Morais/Helena Maia em carro idêntico, isto que no que se refere ao grupo P1, onde o pódio foi fechado por Elísio Lopes/Marco Vilas Boas (Ford Fiesta R2). Nota ainda para José Manuel Gomes/Bruno Pedrosa que ainda deram bastante luta a Correia, mas que acabaram por desistir no primeiro troço de domingo devido a avaria.

Ainda nas duas rodas motrizes, outra luta gira de acompanhar foi no grupo X2 onde não só estava em jogo a Taça dos Campeões, mas também onde estavam os principais candidatos ao título do CSR das duas rodas motrizes. Acabaram por haver triunfos repartidos, com Viana Martins/Vítor Viegas a garantirem a Taça e Paulo Anselmo/Pedro Dias da Silva a assinarem o título sulista. Em terceiro entre os X2 ficaram os vimaranenses João Gonçalves/Rui Araújo em Honda Civic.

No Grupo X1 houve também bastante emoção, começando logo no free practice, quando um dos favoritos, Filipe Silva/Ricardo Martins, bate precisamente na primeira curva do percurso destruindo a frente do Citroen Saxo. À primeira vista parecia desistência certa mas a equipa barlaventina uniu-se, correu à oficina onde a viatura é preparada, e conseguiram trazer um manancial de peças que permitiu ao carro alinhar na prova. Luís Nascimento/Leonido Madeira também tiveram azar na mesma sessão com problemas de transmissão de caixa no Opel Corsa, conseguindo ainda os resolver. Marco Ferreira/Edgar Gonçalves acabaram por assumir a dianteira no grupo, mas problemas no Citroen Saxo relegaram-nos para o segundo lugar do grupo no final, com Silva e Martins a conseguirem o que parecia ser no dia anterior uma tarefa impossível. Luís Nascimento e Leonido Madeira fecharam o pódio. Nota ainda também para o Grupo P2, onde Luís Almeida/Ricardo Bettencourt foram os vencedores no Fiat Punto HGT ex. António Gago, eles que foram os únicos a chegar ao fim.

Entre os GT, Vítor Pascoal e Ricardo Faria assinaram o triunfo na prova com o habitual Porsche, com o piloto de Baião a conseguir o tetracampeonato entre os grande turismos. Os irmãos Carvalheiro vieram ainda lutar pelo título, mas a correia de distribuição do Porsche traiu-os na segunda passagem por Monchique. Nos Clássicos o domínio inicial foi dos recentemente coroados campeões nacionais Nuno Carreira/Danny Carreira em Subaru Impreza, mas uma saída em Monchique 2 colocou-os fora de prova, proporcionando a segunda vitória consecutiva a Luís Mota/Alexandre Ramos (Mitsubishi Lancer Evolution VI), que terminou na frente de Vítor e Márcio Calisto (Ford Escort).

Notas ainda de destaque para o ótimo tempo no qualifying de Paulo Cruz/André Barras, com um dos responsáveis pela carreira de Ricardo Teodósio a surpreender muitos, para a Nuno Venâncio/Fernando Almeida (Mitsubishi Lancer Evolution VII) que souberam que iriam ficar sem a equipa de assistência programada para a prova a um dia do começo da mesma, para a presença dos andaluzes Federico Jimenez/Gonzalo Torres (Peugeot 205 GTI 1.9) ou duelo entre os Suzuki de Vítor Rodrigues/Pedro Contente e Eduardo Modesto/Guilherme Sousa e os Escort dos Calisto e de Pedro Franco/Vítor Sousa.

A prova foi também marcada pela presença de Ricardo Teodósio/José Teixeira como carro de abertura da prova, aproveitando para colaborar com a segurança da prova e agradecer ao público presente pelo apoio prestado ao longo na conquista do bi-campeonato nacional de ralis, brindando os presentes nas super-especiais de Lagos e Portimão com um grande espetáculo.

O Rallye Casinos do Algarve 2021 foi uma organização do Clube Automóvel do Algarve, sob a égide da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, com o patrocínio da Solverde – Casinos e Hotéis, os municípios de Lagoa, Lagos, Monchique e Portimão e ainda do Medronhito do Caldeirão.

Imagens gentilmente cedidas por João Viana