Concorrentes disputaram Primeira Etapa

 

A Baja de Loulé 2018 foi para a estrada no sábado de manhã com os concorrentes a disputarem delineado na zona do Vale Judeu sob o signo da chuva. As condições atmosféricas não impediram João Ramos (automóveis), António Maio (motos), Pedro Carvalho/André Guerreiro (SSV) e Wilson Galo (quads). Nota para os problemas de intercomunicadores de Pedro Ferreira/Hugo Magalhães que acabaram por fazer com que a Ford Ranger da South Racing não fizesse melhor que o nono lugar.

 

Ao início da tarde os concorrentes partiram para disputar o primeiro selectivo. Nas motos António Maio mostrou que quer revalidar o triunfo do ano transacto, ao ser perentoriamente o mais rápido, seguido de um surpreendente Martim Ventura na Yamaha da categoria TT1 e de Salvador Vargas, primeiros da TT3, depois de ter “roubado” esse posto a Mário Patrão, ambos em KTM. Nos quads, Arnaldo Martins (Suzuki) também quer revalidar os louros algarvios com quase dois minutos de vantagem sobre Fernando Cardoso (Yamaha)com o terceiro a ser Filipe Silva (Suzuki). De referir ainda a classe hobby, destinada a motard com pouca experiência competitiva nos últimos anos, onde o louletano Renato Palma (KTM) foi o mais rápido, seguido do monchiquense Márcio Encarnação (Yamaha) e Anthony Nicholls (KTM).

Nos pequenos e irrequietos SSV, a luta está ao rubro, com os seis primeiros a caberem no mesmo minuto e com a curiosidade do top-8 conter somente Can-Am.  Marco e João Silva lideram com 12 segundos de vantagem sobre Henrique Nogueira/Hugo Silva e o regressado Lourenço Rosa, na companhia de Joaquim Dias, que regressa esta época depois de muitos anos afastado das lides do todo-o-terreno. A prova foi liderada por Ricardo Carvalho mas o piloto do Yamaha foi vítima de uma penalização de dois minutos por atraso na chegada a um controle horário, estando agora na nona posição. Em décimo quinto seguem Mário Franco/Luís Engeitado (Yamaha), que lideram entre os T2.

Nos automóveis, João Ramos/Victor Jesus (Toyota) mantiveram a toada dominadora da manhã, tendo mais de um minuto e meio de vantagem sobre carro idêntico de Alejandro Martins/José Marques e 1.53 minutos de vantagem sobre Hélder Oliveira/Pedro Pires de Lima (Mini). Seguem-se ainda Pedro Ferreira/Hugo Magalhães (Ford) e Pedro Dias da Silva/José Janela, os mais rápidos entre os concorrentes do Desafio Mazda. Entre as viaturas mais próximas de série, quem lidera é Rui Sousa/Carlos Silva na Isuzu D-Max da Prolama. Mário Duarte/José Motaco (Toyota), os melhores entre os T8. Uma nota final para os concorrentes da Taça de Portugal de TT, que teve Simão Comenda/Luís Coito (Nissan) a ser o mais lesto.

Amanhã, domingo, a serra do Caldeirão irá conhecer um segundo Sector Selectivo com 76,28 Km para as motos e SSV's e 81,6 Km para os automóveis. Esta última distância será percorrida por motos e quadriciclos no seu terceiro SS, enquanto que os automóveis partirão para um percurso com 142,15 Km de distância, passando por zonas icónicas como a Cortelha, Santa Cruz ou Corte Figueira. Os concorrentes que sobreviverem às agruras do percurso verão a sua consagração no Jardim das Comunidades em Almancil pelas 16h00.

 

A Baja de Loulé 2018 é uma organização do Clube Automóvel do Algarve sob a égide da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting e da Federação de Motociclismo de Portugal, contando com o alto patrocínio do município de Loulé e da Junta de Freguesia de Almancil e ainda com o apoio dos municípios de S. Brás de Alportel, Tavira, Alcoutim, e Almodôvar, Algarpneus, Solverde Casinos e Hotéis, Acrimolde e COPS. Pode consultar mais informação relativa à prova através do website www.clubeautomovelalgarve.pt e acompanhar o seu desenrolar nas redes sociais do Clube Automóvel do Algarve www.facebook.com/CAAlgarve ou https://twitter.com/CAAlgarve