Home Notícias Documentos Multimédia Ao Vivo

Loteamento industrial de Loulé, Lote 11 - 8100-272 Loulé

Telefone 289 422 145  /  96 55 25 338

geral@clubeautomovelalgarve.pt

Página Rallye Casinos do Algarve 2013                                               19/09/2013

Para um acompanhamento personalizado do Rally Casinos do Algarve 2013 foi criado um síte exclusivo para a prova algarvia. Esta página fornece um conjunto de informações indispensáveis ao acompanhamento eficaz do rali, com notícias, documentação, mapas, zonas de público, tempos online e acesso às redes sociais, Twitter e Facebook com as últimas informações.

 

Pode ser acedida diretamente com recurso aos telemóveis (smartphones ou iphones) através de um código de barras que armazena o endereço da página.  Para aceder à informação, o smartphone/i-phone deverá ter um programa de reconhecimento de código de barras. Existem alguns gratuitos como o NEOREADER ou QR DROID. Depois basta efetuar um reconhecimento com a câmara do telefone e abrir a página.

 

Rallye Casinos do Algarve decide campeonato                           02/10/2013

As serras de Monchique recebem a derradeira prova do Campeonato de Portugal de Ralis. Com o título por atribuir, três pilotos chegam ao Algarve com vontade de alcançar o ceptro e prometem emoção desde o primeiro até ao último troço.

Dias 8 e 9 de Novembro, vai para a estrada a edição 42 da prova algarvia, que ficará na história por decidir o campeão absoluto 2013. Num duelo insular, Ricardo Moura e Bernardo Sousa entram para o Rallye Casinos do Algarve a depender de si próprios para sagrarem campeões. Separados por 8 pontos, a vantagem vai para o açoriano que tripula o Skoda Fabia S2000, no entanto, o madeirense que tem três vitórias no CPR, terá que ser o melhor na estrada e na Power Stage para reconquistar o desejado título. À espreita de um desaire dos principais adversários, Pedro Meireles prometer estar na hora certa,  no local certo, num rali que conhece e venceu em 2011, para o CPR.

Os motivos de interesse da prova estendem-se à atribuição do título de CPR2, e do Agrupamento de Produção, isto sem esquecer a participação de outsiders que podem baralhar as contas. Destaque particular para a especial da Fóia, que pelas suas características, tem sido marcante na aferição dos vencedores, e é a Power Stage que decidirá a atribuição dos pontos de bonificação.

Pela primeira vez, o rali conta com a presença do pelotão do Open, que efetua o mesmo percurso do CPR, e permite a inédita comparação entre os campeonatos. Nas duas últimas temporadas, integrados na Taça de Portugal, Ricardo Teodósio e Carlos Martins foram os mais rápidos e marcaram no nome na prova algarvia.

Também os intervenientes do regional sul vão desfilar nas serras algarvias. A quinta prova do CRRS tem na liderança das 4 rodas motrizes, Carlos Martins, que já conquistou o título Open e Regional Centro, e nas 2 Rodas Motrizes é Paulo Santos quem irá partir na frente.

O rali também é elegível para o Campeonato Júnior, Taça Nacional de Clássicos, Desafio Modelstand e Troféu “Fastbravo”.

Mantendo a estrutura de um rali compacto, o rali estará sedeado no Hotel Algarve Casino, na Praia da Rocha em Portimão, embora a vertente competitiva seja nas estradas da serra de Monchique.

 

Ricardo Moura conquista o tricampeonato no Algarve

 

Ricardo Moura escreve o seu nome na lista de vencedores do Rallye Casinos do Algarve e conquista o terceiro título absoluto de ralis. Pedro Meireles foi segundo  sagrando-se vice-campeão, enquanto Bernardo Sousa abandonou com problemas de motor.

A edição 42 do Rallye Casinos do Algarve fica marcada pela conquista do tricampeonato de Ricardo Moura e de António Costa, no Skoda Fabia S2000. O piloto açoriano foi o primeiro líder do rali, mas Bernardo Sousa passou para a frente quando foi o mais rápido na primeira passagem da Fóia. A história do rali (e do campeonato) começou a desenhar-se na PE3, quando o madeirense furou e perdeu três minutos, comprometendo o título. Para piorar a situação na 5ª especial, o Ford Fiesta S2000 teve problemas de motor, colocando um ponto final às aspirações. Com menor pressão, Ricardo Moura optou por dosear o andamento e controlou os principais adversários. A estratégia deu resultado, vencendo o rali e revalidando o título para os Açores. Pedro Meireles fez uma prova consistente, sempre à espreita de uma oportunidade. Somou uma vitória numa especial, e sagrou-se vice-campeão nacional de ralis. A fechar com chave de ouro uma época brilhante, Adruzilo Lopes rubricou o melhor tempo na Power Stage, somando os pontos de bónus, e levou o Subaru Impreza ao lugar mais baixo do pódio (e vitória na Produção). A experiência de Carlos Martins com o Peugeot 207 S2000 da Delta foi positiva, e num um furo na quinta especial, o tirou a quarta posição, que era sua por direito. Apesar do abandono com problemas mecânicos no Mitsubishi Lancer EVO IX, Miguel Barbosa conquistou a Produção, ao recolher os pontos conquistados no Rali de Portugal, na Taça de Ouro de Ralis.

 

Antes do rali começar, João Barros conquistou o título do CPR2, devido à ausência do Ricardo Marques, e optou por participar com o Fiesta R5 como carro zero. As atenções viraram-se para Diogo Gago que dominou nas duas rodas motrizes, somando tempos muito rápidos e acabando no quinto lugar com o Peugeot 208 R2. Boa exibição para Paulo Neto, que foi segundo classificado das duas rodas motrizes, conquistando ainda mais três pontos na última especial. Joaquim Bernardes no Renault Clio R3 foi muito regular e acabou na terceira posição da categoria, na frente de Armindo Neves com Peugeot 207 RC.

Estreando o Mitsubishi Lancer EVO VI da EVO CUP, Ricardo Teodósio imprimiu um ritmo diabólico, registando mesmo um 2º tempo à geral em Monchique. Mas viria a desistir na ligação para o Parque de Assistências com a caixa partida. A liderança passou para Pedro Leone que no Ford Escort Cosworth, que efetuou uma das suas melhores exibições, ainda com um furo pelo meio. Márcio Marreiros, que já tinha vencido o regional sul, acabou a 25,9 segundos de Leone, na 8ª posição da geral conjunta.

Nas duas rodas motrizes, Paulo Santos estreou da melhor forma o Citroen Saxo, e obteve uma vitória categórica, na frente de Gil Antunes que carimbou o título de campeão de Open 2Rodas Motrizes, e venceu o Desafio Modelstand. A terceira posição foi para João Ruivo, que andou próximo de Gil Antunes, mas teve um percalço na última especial.

Foi colocado um ponto final nos principais campeonatos nacionais, que terminaram em grande com um rali memorável.

Regional Sul: Marreiros vence e lidera campeonato

A equipa Márcio Marreiros e Rui Serra em Mitsubishi Lancer EVO VI foram os vencedores entre o regional sul. Tripulando o Mitsubishi Lancer EVO VI efetuaram uma prova consistente, e somaram importantes pontos que o coloca na liderança do Regional Sul. Ricardo Teodósio foi o mais rápido nos cinco troços que compunham a competição, mas abandonou na última ligação. Andando na parte de trás do pelotão Ruben Tabaio e Luís Nunes travaram uma animada luta, e acabaram no pódio separados por 13,4 segundos. Paulo Santos em estreia do Citroen Saxo tem uma prova consistente, e ampliou a vantagem no campeonato, permitindo entrar para a última prova mais folgado. Com alguns problemas de caixa, Marco Ferreira acabou no segundo lugar das 2RM, a mais de 2 minutos do vencedor. De registar os abandonos de José Coelho e José Martins que comprometem as aspirações no título.

O Rali Casinos do Algarve teve o apoio dos Casinos Solverde e das Camaras Municipais de Portimão e Monchique.

Foto Nuno Pimenta